sexta-feira, 27 de junho de 2014

Os vencedores do concurso literário

Parabéns aos vencedores do 5.º Concurso Literário alusivo Dia dos Namorados do Sarau com Café e aos demais participantes que enviaram trabalhos de excelente qualidade, também. Confira abaixo fotos e os textos dos premiados:

















1.º lugar: Rafael Tourinho Raymundo 

Retas Paralelas

Do ponto A ao B
Traçaram suas metas
Seguiram em linha reta
Sem um ao outro encontrar

Ousassem um absurdo
(Desviar em ângulo agudo)
Talvez ambas as rotas
Pudessem se cruzar

Trilhavam seu caminho
A esperar um fim bonito
Sabiam que paralelas
Encontram-se no infinito





2.º lugar: Douglas Kayser

Jogo ganho

O Cometa Halley cruza os céus a cada 76 anos. Tão raro quanto esta aparição deve ser a Copa acontecer no Brasil e começar justo no Dia dos Namorados! Particularmente, eu não poderia esperar nada melhor: serão minhas duas paixões juntas, a esposa e o bom futebol. Até pensei incluir uma cervejinha, formando um trio imbatível, mas aí talvez seja querer demais... É bom não abusar da sorte...
Pela primeira vez em muito tempo não brigaremos pelo controle remoto. Aliás, a disputa pela famigerada TV é pior que novela mexicana. Vou poder vestir a boa e surrada “camisa da sorte”, sem qualquer tipo de ameaça de que a mesma está prestes a virar pano de chão.
Tantas outras coisas boas completarão o 12 de junho, dia dos Namorados: um cobertor quentinho, um bom picadinho, quem sabe até uma vitória do Brasil, hein?
Pois é, a analogia entre Copa e Dia dos Namorados é válida, mas talvez eu tenha exagerado um pouco. Existe disputa pelo controle é verdade, mas quem é que nunca desligou a TV em meio a um jogo e juntou-se ao aconchego dos braços da amada ou do amado?
Amor é Copa sim! Sempre tem torcida, todo mundo quer um final feliz! Quem não vibra com as conquistas de seu amor? Quem não se enche de expectativas quando percebe e vivencia o entusiasmo de seu namorado ou namorada, quando os sonhos são vividos de forma conjunta?
Na Copa do Amor, cumplicidade e respeito devem vir de goleada; desconfiança e mentira vão para escanteio; quem afirma todo dia que o amor traz muito felicidade e faz um bem danado, pode ter certeza, bate um bolão!
Amor, benzinho, paixão, Alemoa, Negão... Não importa o nome ou apelido carinhoso (ou engraçado) do grande amor... Não existe uma técnica padrão... Para viver uma grande paixão intensamente, o jeito é escalar os melhores sentimentos, ser técnico nos carinhos e afagos e correr para o abraço... Preferencialmente de quem se ama! Jogo ganho, pode ter certeza!





3.º lugar: Douglas Backes

Soneto do nosso amor 

Ah, se a vida inteira fosse
Como aquela nossa dança
Lenta, romântica e doce
Cúmplice e mansa...

Ah, se o mundo fosse, inteiro
Como aquele nosso beijo dado
Enésimo, mas feito o primeiro
Cálido e apaixonado

Ah, se as pessoas, todas, soubessem
Que as pequenas coisas (que esquecem)
São o que há de melhor a ser feito

E se os amantes se amassem assim
Como amo-te e amas a mim
O mundo seria perfeito.


                                     

Menção honrosa: Cristiano Vargas

Quero de ti

Não quero de ti
O amor sobrado pela metade
Nem os beijos que um dia
Teus lábios receberam sem vontade.

Não quero de ti
Os restos de um sonho sonhado
Nem o que nele
Tu havias idealizado.

Não quero de ti
Os teus segredos guardados
Ainda que eles
A mim tu tenhas confiado.

Quero de ti, sim
Tudo o que não foi dado:
Tua renovação
Tua unidade na carne e no espírito
Teus mistérios
E o que em ti
Ainda dá vida.





Menção honrosa: Fábio Ruphental

Um dia dos namorados diferente

Dia dos Namorados. Uma data como muitas outras, criada pela mídia para alavancar o comércio. Não estou questionando a data em si! Acho  muito legal aproveitá-la para se fazer um upgrade na relação! Mas não podemos deixar para fazê-lo de ano em ano, pois do contrário a relação tende a amornar, esfriar e por fim, congelar. Mas como não sou destes que tendem a deixar as coisas se encaminharem para este final infeliz, penso que todos os dias (sem clichê!) devam ser Dia dos Namorados!

Não que estejamos prontos a climas de namoro tórrido e cinematográfico todos os dias, porque uma relação madura não é feita somente destes momentos. Há os dias atarefados, angustiantes, aqueles da famosa dor de cabeça, enfim... Mas são justamente nestes dias é que podemos fazer algo inesquecível à nossa cara metade, como ouvi-la e consolá-la quando as suas apreensões e angústias estiverem a lhe remoer,  fazer-lhe um cafuné e  uma massagem relaxante sem segundas intenções, ou mesmo apenas abraçá-la forte, passando-lhe uma energia boa.

Como já disse, não me prendo a datas. O meu primeiro Dia dos Namorados aconteceu em uma noite de Ano Novo, lá por volta de meados da década de oitenta. E por aí já se vão muitos anos, os quais eu não vi passar, pois foi nesta noite que eu conheci  não uma namorada, mas A NAMORADA que já me acompanha por 27 anos, em uma relação de respeito, carinho e romance.  Por conseguinte se fosse me prender a datas, o nosso dia dos namorados deveria ser comemorado em 1º de janeiro!

Como conheci a minha namorada?  Ela estava trabalhando em um clube, na festa de revellion. Olhamos-nos muito, mas sem as devidas apresentações. Mas no final da festa ela teve uma pequena indisposição. Dei-lhe um chá de macela e fiquei conversando com ela.  Conversamos muito naquela noite e madrugada, eu a auxiliei na reorganização do clube após a festa, e durante a faxina acabou rolando um romance!

Como em toda relação, seja ela comercial ou sentimental, há altos e baixos e momentos de discutir e acertar os ponteiros. Mas se levamos a sério, agindo com maturidade e respeito mútuo, é e sempre será um grande aprendizado!

E qual foi o resultado disto?  Nossa relação é um sempre estado de namoro, mesmo depois de tantos anos juntos. Temos um monte de histórias  para contar e relembrar, várias viagens juntos, uma família maravilhosa  e amando como se não houvesse amanhã!