quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Aos amigos




"Já percebi que estar com aqueles de quem eu gosto é quanto basta”. (Walt Whitman)



E vocês todos, aqueles que eu posso realmente chamar de meus amigos (e eu posso contá-los e reconhecê-los um a um) me bastam sempre, em qualquer situação. Desse jeito mesmo, como sou, como somos, sem tirar nem por. Sóbrios, bêbados, doidos, santos, engraçados, chatos, descolados, caretas, crentes, céticos, retos, tortos, casados, solteiros, alegres, tristes, certos ou errados. Somos assim e, se assim nos escolhemos, se assim nos queremos, assim nos respeitaremos e nos bastaremos para sempre, como amigos.

Retornaremos com o Sarau a partir de março, sempre na última quinta-feira de cada mês, em Taquara. Até lá!

Feliz Natal e um Ano Novo repleto da companhia de vocês, queridos amigos!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Sarau dia 16 de dezembro



A última edição de 2010 do Sarau com Café acontecerá nesta quinta-feira, dia 16 de dezembro, no espaço junto à Cafeteria Sabor Café e Livraria Nova Letra, a partir das 19h30min, em Taquara. O encontro reunirá os organizadores do evento, Roseli Santos, Ilana Lehn, Anna Amélia Fleck e os músicos Chico Paz e Adolfo Silva, além de convidados, para encerrar o ano em clima de confraternização.

Também estão sendo esperados para este momento festivo todos os apoiadores culturais do sarau que colaboram com o evento nestes sete anos de atividades, e a comunidade que prestigia o evento sempre na última quinta-feira de cada mês. “Antecipamos a edição de dezembro em razão das festividades de final de ano. Queremos que todos os envolvidos em promover e apoiar os novos talentos na arte, na música e na literatura da região estejam presentes para o sarau de encerramento do ano”, afirma Roseli Santos.

Para os organizadores, 2010 foi um ano em que o sarau trouxe grandes atrações para a comunidade regional, em diferentes áreas, além de levar leitura e música para várias cidades do Estado, incluindo a Feira do Livro de Porto Alegre. Em 2011, a partir de março, a proposta é seguir investindo em encontros mensais com convidados especiais, e promover a cultura regional também em escolas, feiras e demais eventos literários do Rio Grande do Sul, de maneira itinerante, interagindo com outras propostas e projetos culturais, como já vem ocorrendo nos últimos anos.

O sarau tem apoio cultural de Cafeteria Sabor Café, Casa das Lãs, Cirurgiã Dentista Stefani Lanius Adam, Clínica de Ortopedia João Guilherme Hackmann, Faccat, Invento Propaganda, Estúdio Pro Produções, Livraria Nova Letra, TCA Informática e Prefeitura de Taquara. A entrada é gratuita.









quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Casamento


Por Roseli Santos

Os apelos natalinos e de final de ano não me comovem, embora seja inevitável se deparar com vários (e alguns tediosos) compromissos dessa época e com uma infinidade de mensagens “forçadas”, subliminares ou não, de união, paz, amor, fraternidade, família unida, casa cheia, mesa farta, abraços, sorrisos, etc, etc, etc. Em resumo, felicidade obrigatória ou nada feito! Se não se enquadrar no perfil do pinheirinho com luzinhas, tá fora.

Sinceramente, meu conceito de felicidade pode incluir um pouco disso tudo em momentos distintos (com exceção do pinheirinho e daquelas musiquinhas de Natal), mas não apenas no final do ano. Acredito que doses homeopáticas ao longo de todos os dias sejam mais promissoras do que a compra de uma “Noite Feliz”, encomendada a qualquer preço, que a maioria nem pode pagar.

Lamento informar, pessoal. Papai Noel não existe e felicidade não se compra em supermercado e nem por emenda constitucional. Portanto, trate de ser feliz consigo mesmo, em atitudes e gestos, e esqueça o resto. Se em todos dias do ano houver um momento só seu, de autêntica felicidade ou satisfação, aí sim já terá valido a pena.

Por incrível que pareça, reforço esse pensamento depois de ler uma notícia curiosa sobre uma mulher que resolveu casar consigo mesma. E de véu e grinalda, com direito a festa e tudo. É sério! Nada mais sugestivo em tempos tão desesperadores. Casar consigo mesmo é uma linda metáfora da vida. A maneira como conduzimos nossa caminhada só depende de nós mesmos, sozinhos, sem depositar no outro qualquer expectativa ou obrigação de ser feliz.

Conviver bem consigo mesmo, antes de apostar em qualquer outro relacionamento, seja com marido, namorado, mãe, irmãos ou filhos, torna-se, na verdade, o único casamento viável. Talvez a única saída para uma possível união com o outro, seja ele quem for. Felizes ou não, a vida será o que fizermos dela, no casamento que tivermos conosco, comunhão do que se é realmente com o que temos de melhor e pior.

Nada de felicidade obrigatória, nem luzinhas piscantes, muito menos sorrisos amarelos. A vida é para ser brindada todos os dias, como ela se apresenta, com todas as suas alegrias e mazelas, casamento eterno com o que somos, indissolúvel até a morte. Mesmo sem a comoção que toma conta da maioria nesta época do ano, desejo a todos que encontrem em si mesmos o seu par ideal para seguirem plenos em direção ao outro.

E que as mensagens de paz, amor, união e fraternidade possam estar presentes em todos os momentos, gestos e atitudes do ano, e não apenas nos dias que antecedem o Natal. Esqueçam as luzinhas e brilhem por si próprios. Feliz Natal e um ano novo cheio de coisas boas a todos!