quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Momento especial



O melhor de tudo isso é saber que há sempre novos caminhos, portas que se abrem, amizades que se constroem, momentos que não se repetem e uma infinidade de possibilidades ainda a serem exploradas. E só pela caminhada já terá valido a pena todo o esforço e toda a história construída a cada sarau.


O Sarau com Café foi atração na tarde de domingo, 14 de novembro, no Território das Escolas, junto ao Cais do Porto, na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. O grupo, formado pela jornalista Roseli Santos, pela psicóloga Anna Amélia Fleck, pela estudante Ilana Lehn e pelos músicos Chico Paz e Adolfo Silva, contou com a participação especial do poeta Dilan Camargo, que lançou recentemente o livro Poeplano (Editora Projeto) e leu algumas de suas poesias. O encontro também teve uma intervenção da escritora Leia Cassol, que cantou uma música adaptada de um poema de Mario Quintana.

Os textos do sarau foram intercalados com interpretações musicais de Chico Paz e Adolfo Silva. Os integrantes do grupo leram textos de Eduardo Galeano, Millôr Fernandes, Martha Medeiros, Sérgio Capparelli e Dilan Camargo, entre outros autores.

“Foi um momento muito especial na companhia do escritor Dilan Camargo, de amigos e do público (crianças, adolescentes e adultos), que nos prestigiaram na Feira do Livro de Porto Alegre. Com certeza, conseguimos deixar uma mensagem muito positiva a todos, incentivando a leitura e a música, com descontração e alegria”, afirma a jornalista Roseli Santos, lembrando da interação que o sarau proporciona e que acrescenta cada vez mais experiência e novos relacionamentos ao grupo taquarense.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Feira, livros e sarau



O Sarau com Café de Taquara estará presente na Feira do Livro de Porto Alegre neste domingo, dia 14 de novembro, às 17 horas, no espaço do Território das Escolas, junto ao Cais do Porto. O encontro terá a participação do escritor Dilan Camargo, que está lançando o livro Poeplano.
O grupo do sarau, integrado pela jornalista Roseli Santos, pela psicóloga Anna Amélia Fleck, pela estudante Ilana Lehn e pelos músicos Chico Paz e Adolfo Silva, participa pela primeira vez da Feira do Livro de Porto Alegre, embora já tenha realizado saraus em outros bares da capital e em várias feiras do livro e escolas da região.

Há sete anos, o Sarau com Café é referência cultural na região, com encontros que ocorrem sempre na última quinta-feira de cada mês no espaço junto à Cafeteria Sabor Café e Livraria Nova Letra em Taquara. “Para nós, é uma oportunidade gratificante poder compartilhar textos, música e bate-papo em um espaço importantíssimo da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, especialmente, dedicado à área infanto-juvenil. Despertar o gosto pelos livros nesses pequenos leitores é formar cidadãos mais críticos e conscientes de seu papel social”, destaca a jornalista Roseli Santos.

TATUAGEM - Já a próxima edição do Sarau com Café em Taquara acontecerá dia 25 de novembro, às 19h30min, tendo como tema “Tatuagem” e participação especial do Coro das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). O apoio cultural é de Cafeteria Sabor Café, Casa das Lãs, Cirurgiã Dentista Stefani Lanius Adam, Clínica de Ortopedia João Guilherme Hackmann, Faccat, Invento Propaganda, Estúdio Pro Produções, Livraria Nova Letra, TCA Informática e Prefeitura de Taquara. A entrada é gratuita.






sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Mais um

Por Roseli Santos


Um mais um é sempre mais do que dois, em se tratando de ações comunitárias, uma vez que a soma de algo inevitavelmente resulta além daquilo que se apresenta, em um primeiro momento. Basta observar uma orquestra tocando, uma peça de teatro, o show de uma banda de rock ou um coral cantando para descobrirmos infinitas possibilidades de superar diferenças, de construção coletiva, de gente em desenvolvimento constante.

E não é preciso muito para que as coisas aconteçam. Misture algumas doses de boa vontade, pitadas de colaboração e uma porção de pessoas dispostas a fazer e...pronto. Eis a receita para o sucesso de qualquer iniciativa. Simples assim, desde que se tenha um ideal realmente comunitário, capaz de contagiar e de transformar.

Na inércia e na ignorância o processo de mudança não ocorre. Fica estagnado, em todos os sentidos. Dividindo esforços e competindo, cada um por si, também não se constrói nada. Somando, nos tornamos múltiplos, multiplicadores, plurais, capazes e íntegros. Bom lembrar que nem todos os fins justificam os meios e que é importante ignorar muita gente mal intencionada, interesseira e oportunista que cruzará o caminho nesse processo.

Quando fragilizados, egoisticamente isolados do contexto social ao qual estamos inevitavelmente atrelados, nos apegamos à crítica destrutiva, tentativa inútil de manutenção do poder, do espaço nunca conquistado, da vida desperdiçada contra e não a favor.

Para somar são necessários indivíduos comprometidos com o seu semelhante, com a sua aldeia, com tudo o que é de todos. Em comum, precisam ter perfil de agentes reais de transformação, aptos a colaborar, a erguer pontes e não muralhas. O resto é teoria e conversa para boi dormir. Quem quer faz, quem não sabe, inventa moda e culpados, dividindo para subtrair.

Melhor apostarmos nos cidadãos dispostos, bem-humorados, alegres, que fazem a diferença e arregaçam as mangas. Melhor ainda contarmos com quem nos surpreende sempre com mais do que o esperado, com os que somam, somam e, no final, encontram resultados triplicados, além do imaginado. Exemplos? Olhe para o lado e terá vários, positiva e negativamente. A propósito, se for para subtrair ou dividir, esqueça. Com certeza você está obtendo o que sempre obteve, fazendo o que sempre fez.